TUDO COMEÇOU COM O TECIDO

Com mais de 500 lojas e 7000 funcionários em todo o mundo, o Grupo Ermenegildo Zegna teve início no norte de Itália com o sonho e paixão de um homem.

Desde 1910, com apenas 18 anos, a Ermenegildo Zegna fundou a Lanifício Zegna (fábrica de lã) e o que viria a tornar-se num dos negócios familiares mais conhecidos e mais dinâmicos da Itália. Tinha o sonho de que criaria, nas suas palavras, “os tecidos mais lindos do mundo”. teve a ambição de criar os tecidos mais belos do mundo.

A especialidade é fazer tudo sob medida. A escolha dos pormenores, desde os botões até ao tamanho do colarinho: a experiência SU MISURA ajuda a criar um vestuário que se adapta verdadeiramente a você e ao seu estilo.

Muitos dos clientes escolhem os tecidos mais icónicos. O tratamento mais exclusivo é tecer um material só para você, em que os clientes escolhem o padrão, peso e trama específicos do seu tecido exclusivo.

O Feito sob Medida é mais do que um serviço: é uma experiência. Tem início com uma reunião: entre você e o seu alfaiate. A partir desde momento tem início um processo de mãos, paixão e competência, o qual irá demorar cerca de 21 dias desde tirar as suas medidas até à entrega do vestuário personalizado.

Para um casaco de fato existem, aproximadamente, 30 estágios diferentes. Este processo garante que o vestuário mantém a sua estrutura durante a sua vida útil.

“A parte mais entusiasmante de criar o vestuário é quando o tecido é cortado. É aqui que o verdadeiro potencial dos tecidos exclusivos começa a mostrar-se e o espírito do vestuário começa a emergir.”

“Apesar de toda a nossa experiência na tecelagem e acabamento, sem um acompanhamento das matérias-primas, as técnicas mais sofisticadas de nada valem. A origem é tudo. É por isso que a Zegna é fanática quando se trata de obter uma excelente matéria-prima. E está empenhada em garantir a sustentabilidade das suas fontes.”

Cada geração da família tem estado envolvida na consolidação da visão da Ermenegildo Zegna, garantindo que o nome Zegna permaneça atemporal.

A empresa continua a ser gerida pela família e é liderada por Gildo, enquanto CEO; Paolo é o Presidente, Anna Presidente da Fondazione Zegna, e Benedetta é Gestora de Talentos.

O grupo tem três princípios: definir objetivos a longo prazo; manter a empresa na família para garantir a continuidade; e seguir um compromisso ético consagrado num rigoroso sistema de governança corporativa. Estes garantem que a empresa permanece fiel face à visão dos fundadores, ao mesmo tempo que continua a inovar num negócio em constante mutação.

Fonte: Focus Excelencia

A ALMA DO ARTESÃO 4.0 – ERMENEGILDO ZEGNA

Pense em uma marca que consegue traduzir toda sofisticação e autenticidade do universo masculino. Que oferece mais de 350 tipos de tecidos produzidos por artesãos suíços. Domina a arte da alta alfaiataria e produz ternos cortados com precisão cirúrgica.

Essas são as características que fazem da marca italiana ERMENEGILDO ZEGNA a mais importante da moda masculina e responsável por vestir alguns dos homens mais influentes e elegantes do mundo.

A história da elegante marca italiana começou no ano de 1910 quando Ermenegildo Zegna, aos 18 anos de idade e caçula de dez irmãos, iniciou o processo de transformação do pequeno negócio têxtil de seu pai, Michelangelo, chamado Lanificio Zegna (do italiano “lanifício”, que significa fábrica de lã), em Trivero, ao norte da Itália, na bela região alpina de Biella.


O novo gestor tinha um objetivo ousado: produzir os melhores tecidos para roupas tão bons a ponto de competir com aqueles fabricados na Grã-Bretanha, considerados então os melhores do mundo. Para que seus tecidos pudessem atender à prestigiada alfaiataria inglesa, ele foi buscar equipamentos na Inglaterra, e as melhores lãs na Austrália, África do Sul, Nova Zelândia e Tasmânia, além de cashmere, na Mongólia.

À frente de 420 funcionários e sessenta teares, esmerou-se em produzir tecidos com os fios mais finos do mundo. A próxima etapa foi tornar sua marca conhecida mundialmente, sendo o primeiro a “assinar” tecidos com seu próprio nome.

Naquele tempo, a Inglaterra e a Escócia dominavam o mercado, mas o talentoso Zegna acabou por se impor através de um cuidadoso processo de produção, produtos inovadores e de alta qualidade, confeccionados com as melhores matérias primas, além da competência na promoção e divulgação da marca. “Uma qualidade proverbial” era o slogan dos primeiros anúncios então veiculados pela marca.

Não demorou muito para a marca ERMENEGILDO ZEGNA se tornar sinônimo dos melhores produtos têxteis da Itália e parâmetro de qualidade no mundo todo.

Foi nas mãos da terceira geração da família que a marca de tecidos ERMENEGILDO ZEGNA se transformou em uma cobiçada grife de luxo. Angelo e Aldo, filhos de Ermenegildo, assumiram a direção em 1960 e a empresa passou a produzir peças de alfaiataria e uma linha prêt-à-porter.

Foi somente na década seguinte que a marca abriu suas primeiras lojas próprias, na cidade de Paris, em 1980, e na cidade de Milão, em 1985. Nos anos seguintes, ampliou sua linha de produtos com o lançamento de seus primeiros perfumes, óculos escuros, acessórios em couro, roupas íntimas e até uma linha mais jovem e casual de roupas e acessórios.

Desembarcou no Brasil através de uma parceria com a Daslu em 1998, bem antes de outras marcas de luxo descobrirem que o país tinha potencial para rápido crescimento nesse segmento. A primeira loja no Brasil foi inaugurada no Shopping Iguatemi, em São Paulo, no ano de 2001.

Saiba Mais

Food Design

 

“Food Design – Valduga Alle Origine – Cammino Di Caravaggio”: uma experiência que uniu conhecimento, gastronomia e vinhos. A ideia foi mostrar, na teoria e na prática, a importância da excelência nas empresas, nos produtos e na vida!

Os convidados, clientes e formadores de opinião eram recepcionados com  deliciosos antepastos da Casa Madeira e espumantes RSV Blus, e pela violinista Caroline Biehl , com mais de 20 anos de experiência.

Em seguida, a diretora da Focus Excelência, Marinez Pretto, socióloga, antropóloga e pesquisadora apresentou uma breve palestra sobre “A construção da excelência hoje e os novos paradigmas do futuro”. Marinez destacou que excelência “É FAZER MELHOR QUE POSSO COM QUE O QUE TENHO”, destacou que é necessário ter esforço, empenho, técnica e alma no que faz.

Depois foi a vez de Valquiria Perin Eilert, psicóloga com formação em neuropsicologia, apresentar o tema ‘O cérebro, o paladar e as memórias’. A profissional destacou a importância da gente ‘sair do automático’ e dar mais atenção aos pequenos detalhes do dia a dia.

O menu começou com um antepasto, batizado pelo chef de “Santa Maria della Fonte”: trata-se de uma cestinha de queijo parmesão, recheada com uma polenta com creme de mascarpone, alho assado e presunto cru. O prato foi harmonizado com espumante 130 Blanc de Noir.

Food Design e Excelência

Os consumidores e as forças de inovação


Francesco Morace, presidente do Future Concept Lab de Milão a convite da Focus Excelência, apresentou para mais de 150 pessoas “Os novos consumidores do futuro e as forças de inovação”. Durante o evento, o público seleto pôde conferir as últimas atualizações sobre as principais tendências de consumo e voltar o seu olhar para um novo consumidor. Além de observar algumas quebras de paradigmas.

Na imprensa

Imagens

Painel da Excelência

Em outubro de 2015 foi realizado em Bento Gonçalves o workshop: PAINEL DA EXCELÊNCIA
Duas palestrantes e três cases:
– Palestrantes: Marinez Pretto, que abordou o tema “A Construção da Excelência e o DNA Brasil” e Flama Savio, que abordou o tema “A Excelência e o Design”
– Cases: Eduardo Valduga apresentando o case da Famiglia Valduga, e Priscila Manfroi apresentando o case do Grupo SCA.

E para concluir, Elisabeth Sohber : A excelência e os queijos franceses

Na imprensa

Imagens

Excelência e Cool Hunting

Em agosto de 2016, em parceria com o Instituto Europeu de design, Focus Excelência realizou um curso de 21 horas com o tema: Excelência e Cool Hunting: Tendência de Comportamento e Consumo.
Foram abordados temas ligados tanto à visão mais estratégica das tendências (elaboração de conceitos, definição de valores, construção de significados), quanto à sua aplicação mais operacional (materiais, cores, estilos, objetos). Bruno Pompeu, coordenador do curso de Cool Hunting na unidade de São Paulo ministrou o conteúdo a partir de uma perspectiva interdisciplinar, que aproxima o design, a antropologia e a semiótica.

Na Imprensa

Imagens